John McAfee: O Milionário Excêntrico

John Mcafee é o fundador de uma das maiores empresas de antivírus do mundo. É também PhD em Matemática e um dos maiores nomes do mundo da informática. Entretanto, também é lunático, viciado em drogas, acusado de assassinato e de montar um exército privado em Belize. Tenso!

Infância

Quando pequeno, McAfee tinha um pai alcoólatra que batia nele com frequência. Aos quinze anos, seu pai se suicidou com um tiro. Um fato realmente triste na vida do grande gênio, mas mesmo assim sempre foi um aluno com inteligência acima da media.

Na faculdade, começou a mostrar seus talentos, revelando-se um homem extremamente inteligente e brilhante em Matemática. O que o levou a trabalhar como programador na NASA.

Problemas Com Drogas

Infelizmente, John sempre teve problemas com drogas. Consumia LSD, cocaína e maconha enquanto trabalhava e passava as manhãs bebendo whisky. Quando trabalhou na Univac de Bristol, no Tennessee, foi demitido após ser preso vendendo maconha. Em 1983, consumia grandes quantidades de cocaína e vendia o excedente para seus colegas de trabalho. Uma bela carreira se é que me entendem!

O Surgimento Do Antivírus McAfee

Em um belo dia, McAfee ouviu uma notícia de que dois irmãos paquistaneses haviam criado o que poderia ser considerado como o primeiro vírus de computador. Com pouco investimento, ele reuniu alguns colaboradores e fundou a Mcafee Associates. O plano inicial de Mcafee era distribuir o antivírus gratuitamente. A propaganda boca a boca fez com que o software chegasse às grandes empresas.

Em 1991, um relatório divulgado pela Forbes mostrou que todas as cem maiores empresas dos Estados Unidos usavam seu programa. Posteriormente com a cobrança de um pequeno licenciamento, o faturamento chegou a cinco milhões de dólares ao ano.

Belize

Quando John vendeu sua empresa para a Intel por quase oito bilhões de dólares, o gênio mau compreendido teve a grande ideia de se desfazer de tudo o que tinha, incluindo suas mansões, seus carros luxuosos e até mesmo seu jato particular. Comprou um grande terreno em Belize, um pequeno país da América Central, e lá se refugiou em um bangalô sem acesso à internet.

Em Belize, John conheceu um bordel chamado Lover’s, e o dono do estabelecimento apresentou a ele uma garota de dezesseis anos chamada Amy. Em menos de trinta dias, eles já estavam dormindo juntos.

Amy Emshwiller

Apos um tempo de namoro, Amy tentou matar Mcafee devido ao relacionamento conturbado, mas desistiu na hora de puxar o gatilho. Eles terminaram o relacionamento, óbvio, mas ele acabou comprando uma casa para garota pouco tempo depois. Romântico, não?

Sabendo dos riscos em Belize, McAfee resolveu dar aos policiais da região armamento pesado, munição e veículos. Ele também andava com uma pistola na cintura e negociava com traficantes da região, oferecendo TVs de LED em troca da promessa de que eles largariam o tráfico.

Metanfetaminas e Assassinato

No local onde morava, John criou uma fábrica de cigarros, uma companhia de distribuição de café e um serviço de táxi marítimo. Porém o governo de Belize o acusou de montar um exército privado e traficar drogas na região. Embora tenha dito que estava pesquisando antibióticos, a suspeita é de que ele estivesse produzindo metanfetamina. Breaking Bad da vida real?

Apos ser solto mediante fiança, John voltou ao seu bangalô onde começou a morar com cinco mulheres, todas com idades entre dezessete e vinte anos. Porém seu tempo de tranquilidade não durou muito tempo.

McAfee passou a ser procurado pela polícia local sob a suspeita de ter assassinado o seu vizinho. O Milionário maluco fugiu para a Guatemala, mas mesmo assim foi preso e deportado para os Estados Unidos. John McAfee disse que foi depor voluntariamente sobre o assassinato e defendeu-se das acusações.

Em 2013, a ilha natal de McAfee foi incendiada, o que fez com que ele voltasse para os EUA. Em 2015, ele foi preso no estado do Tenessee por dirigir sob influência de substâncias e portar arma de fogo.

Dias Atuais

Atualmente, John McAfee está lançando o seu mais novo empreendimento, a “McAfee Freedom Coin“, e irá concorrer a presidência dos Estados Unidos em 2020. McAfee também vendeu os direitos da história de sua vida para Warner. Também temos o excelente documentário Gringo: The Dangerous Life of John McAfee, que mostra como foi sua estadia em Belize.

Fonte: tecmundo.com.br

Deixe uma resposta